quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Prestes a completar 80 anos de vida, a artista plástica mais polêmica do Estado ganha registro impresso de sua obra

Eli no livro
Prestes a completar 80 anos de vida, a artista plástica mais polêmica do Estado ganha registro impresso de sua obra

Cores berrantes, formas inusitadas, seres imaginários que miram, ricos detalhes que desafiam os limites da criatividade, fotos que revelam impressionantes expressões. Ao folhear o livro Óvulos de Eli – A Expulsão dos Seres de Eli Heil, o leitor adentra as diversas facetas da obra de uma das maiores artistas plásticas brasileiras. Assim como Eli se refere aos seus trabalhos, o livro é para ficar “nos olhos de quem vê”.Nascida em Palhoça, criada em Santo Amaro da Imperatriz e moradora de Florianópolis há cinco décadas, a quase octogenária Eli Heil é uma artista pouco conhecida entre sua gente. Com o objetivo de divulgar a grandiosa obra dessa mulher, a produtora Contraponto produziu o livro, um apanhado das principais fases criativas da artista.– Achei maravilhoso. Essa é uma outra turma, a gente acha que eles não têm pretensão de fazer coisa boa – admirou-se a exigente Eli, referindo-se ao que achou do livro e da equipe que o produziu.Organizado pela jornalista Kátia Klock e a artista gráfica Vanessa Schultz, Óvulos de Eli será lançado hoje, na Barca dos Livros (Rua Senador Ivo d’Aquino, 103, Lagoa da Conceição, Florianópolis, em frente ao trapiche), às 20h. O evento é fechado para convidados e terá sessão de autógrafos.Com apoio cultural da Unimed Grande Florianópolis, o livro foi patrocinado pela Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com orçamento de R$ 40 mil. Como retorno à sociedade, o livro terá mil cópias distribuídas gratuitamente a escolas, bibliotecas, centros culturais, museus, universidades e multiplicadores. A publicação não estará à venda.Com 120 páginas, o livro apresenta fotos de suas obras, ilustrando uma amostra de suas técnicas diversas, entre pinturas, esculturas, tapeçarias, instalações, desenhos e cerâmicas. Para o leitor conhecer e contextualizar melhor a artista e sua obra, textos de críticos de arte, professores universitários e jornalistas jogam luz sobre a história de Eli e tecem tentativas de explicações sobre suas criações, tão complexas e inesgotáveis. Trechos de poemas escritos por Eli entre as décadas de 1970 e 1980 complementam as páginas.Nascida em 5 de junho de 1929, mas registrada pelo pai somente um mês depois, Eli Heil pretende comemorar seu aniversário de 80 anos por um mês. Estão previstas uma grande exposição, um outro livro e um documentário em comemoração à data.A maior parte de suas obras está exposta no Museu O Mundo Ovo de Eli Heil, na Rodovia SC-401, na Capital, um local aberto ao público, construído para preservar o acervo da artista. O museu foi considerado o melhor de Florianópolis pelo Guia Quatro Rodas 2008.alicia.alao@diario.com.br

Nenhum comentário: