segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Machado de Assis e Guimarães Rosa juntos numa exposição, na Capital

CULTURA
Conversa ao pé do ouvido
Machado de Assis e Guimarães Rosa juntos numa exposição, na Capital

Os escritores Machado de Assis e Guimarães Rosa foram contemporâneos durante apenas três meses. Rosa nasceu em junho e Machado morreu em setembro de 1908. Nunca conversaram em vida, mas por ocasião do centenário de morte de um e nascimento do outro, trocaram ideias literárias sobre a natureza humana e a loucura.Não foi obra de nenhum centro espírita, mas do escritor Carlos Henrique Schroeder, que por iniciativa do Sesc, preparou textos e o roteiro para a exposição Ser.Tão.Mar.Ser.Tão.Rio, que começa hoje na Capital.Com elementos visuais criados pela artista plástica Fabiana Wielewicki, a exposição apresenta os autores de uma maneira lúdica e acessível a todas as idades.– A ideia é colocar os escritores para conversar de um jeito mais palatável. Nas escolas, quando se fala nos dois, há uma repulsa imediata. Creio que haja má utilização da obra deles. Então pegamos contos mais suaves, para poder aproximá-los e tornar a experiência gostosa, uma conversa ao pé do ouvido. O objetivo foi democratizar a obra deles e criar empatia com os leitores – explicou o escritor, que leu a obra completa de Guimarães Rosa e Machado de Assis para a tarefa.A exposição, que já circulou por Tubarão, Lages, Concórdia e Criciúma, está dividida em quatro partes: A Primeira Flor, sobre a infância dos escritores; Infância é Coisa, Coisa, sobre contos dos escritores que citam a infância e adolescência; O Continente, que aborda os temas explorados por ambos como a loucura e a natureza humana; e Brasileiros e Universais.– Criei o cenário da exposição a partir dos contos O Espelho, um de cada autor, com esse mesmo nome. O texto de Machado de Assis enfoca os personagens em primeiro plano e não apresenta muitos elementos de espaço na narrativa. Por outro lado, Guimarães Rosa descreve muito paisagens. Pensei no Machado como retrato e Rosa como paisagem e um vira o outro – explica a artista plástica.Além de projeções e o jogo interativo de perguntas e respostas de um autor para outro, baseados na obra de cada um, a exposição conta com um espaço de leitura para crianças.Completam as homenagens aos autores duas oficinas ministradas pelo escritor Carlos Schroeder. Veredas: Machado e Guimarães na Sala de Aula é voltada para professores e trata de como abordar esses escritores na escola.Machado@guimaraes.com.br é aberta para leitores de todas as idades e investiga o caminhar criativo e as potencialidades da prosa de ambos e seus reflexos na literatura brasileira. Tanto a exposição quanto as oficinas vão circular por todas as unidades do Sesc em Santa Catarina até 2011.alicia.alao@diario.com.br

Um comentário:

Priscila Lopes disse...

Acompanho o blog e gostaria de sugerir um post dedicado à organização de lançamentos (preferencialmente livros). Bares ou locais culturais, o que é mais indicado servir, o que não convém oferecer etc. Desde já agradeço!