sábado, 2 de agosto de 2008

SIMULACRO DE UMA SOLIDÃO FAZ TEMPORADA NO TEATRO DA UBRO

SIMULACRO DE UMA SOLIDÃO FAZ TEMPORADA NO TEATRO DA UBRO


O espetáculo Simulacro de uma solidão, elaborado a partir de escritos da poeta carioca Ana Cristina Cesar, trata de uma mulher que espera... Sozinha, num vagão de trem, com o jantar servido para dois, ela aguarda um telefonema, uma correspondência, alguém. Enquanto espera, ficção e realidade se mesclam, dando origem a diversas situações inusitadas, que trazem à tona diferentes estados emocionais provocados pela solidão.
O trabalho aborda o universo feminino, investindo no aspecto confessional presente na obra da poeta, que brinca com as relações entre o que é autobiográfico e o que é fictício. Este jogo ambíguo é explorado na cena, através de fragmentos que vão e voltam, mesclando memórias passadas ao momento presente, usando de artifícios como correspondências e diários íntimos.
Ana Cristina Cesar é considerada uma das poetas mais instigantes e consistentes de sua geração, marcada pelo movimento da “poesia marginal”. Traduzida em diversas línguas, sua escrita híbrida, prosa poética, abusa do discurso derramado, de associações, colagens, frases soltas, exclamações súbitas, numa eterna fusão entre erudito e coloquial. Fascinada por cartas e diários, Ana C. expõe confidências íntimas e dolorosas, numa auto-exposição provocativa e por vezes cortante. A poeta cometeu suicídio em 1983, no Rio de Janeiro.
O espetáculo é dirigido por Jefferson Bittencourt, músico e diretor teatral da Persona Cia de Teatro e da Trilogia Lugosi. Jefferson também dirige o grupo Cantus Firmus, de música medieval e renascentista. Em cena, a atriz Marisa Naspolini, da Áprika Cooperativa de Arte, que volta a atuar após alguns anos dedicados à preparação de atores e ao ensino. Marisa é também professora do Centro de Artes da UDESC e das Faculdades Energia e tem forte atuação na coordenação de projetos culturais. No momento, está envolvida com a ampliação da Rede Magdalena no Brasil, através do projeto Vértice Brasil. A Áprika Cooperativa de Arte traz em seu currículo vários espetáculos, como “Mágicos Navegadores”, “O melhor de mim são eles”, “A última apresentação”, “Auto da Estrela-Guia”, “América” e “A arca que não é”, entre outros.
Simulacro de uma solidão teve sua pré-estréia em junho de 2008, no Teatro do SESC, e apresentou-se na Casa de Cultura Dide Brandão, em Itajaí, e no Vértice Brasil – encontro e festival de teatro feito por mulheres, em Florianópolis, ambos em julho. Em agosto, realiza curta temporada no Teatro da UBRO e, em seguida, participa do Seminário Internacional Fazendo Gênero. O espetáculo foi contemplado com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2007.

Ficha técnica:

Com Marisa Naspolini
Direção: Jefferson Bittencourt
Cenografia: Fernando Marés
Cenotécnico: Sérgio Richter
Figurino: Fernando Marés e Marisa Naspolini
Fotografia: Cleide de Oliveira
Trilha sonora: Jefferson Bittencourt
Arte do cartaz e programa: Paulo Gaiad
Programação visual interna do programa: Daniel Olivetto
Assessoria de imprensa: Marcos Heise
Produção: Nilce Silva e Marisa Naspolini
Duração: 40 minutos


SERVIÇO:

LOCAL: TEATRO DA UBRO – Escadaria da Rua Pedro Soares, 15 - Centro
Telefone: 3222-0529
DATA E HORA: 8, 9, 10, 15, 16 e 17 de agosto às 20h.
INGRESSOS: R$ 15,00 e R$ 7,50

Contatos: heise@unetvale.com.br / aprika@floripa.com.br
(48) 9962-3006 / 9961-5520 / 9969-9609

Nenhum comentário: