sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Companhia teatral de Florianópolis conquista a crítica do centro do país

Teatro
Porque sim!
Companhia teatral de Florianópolis conquista a crítica do centro do país

A Cia. Teatro Sim... Por que não?!!!, de Florianópolis, faz uma apresentação única da peça O Pupilo Quer Ser Tutor, hoje à noite, no Sesc Consolação, em São Paulo.Mas nem haverá tempo para comemorações, nem descanso. Assim que o público se retirar, a trupe vai desmontar o equipamento e seguir para Santos, onde o espetáculo será apresentado amanhã. Apesar do corre-corre, o grupo não tem o que lamentar. É uma das poucas companhias do Sul que tem conseguido destaque de público e crítica no centro do país.A montagem O Pupilo Quer Ser Tutor, baseada no texto do austríaco Peter Handke, estreou em junho do ano passado no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), na Capital. Passado pouco mais de um ano, a peça já participou de quatro festivais e integra o projeto Palco Giratório do Sesc 2008, com apresentações em nove cidades, entre elas Florianópolis (no dia 18 de setembro).No Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (SP), encerrado no último dia 19, a companhia se destacou e recebe críticas positivas de vários especialistas nos jornais e na TV. Dirigida pelo convidado Francisco Medeiros, a peça não tem diálogos e estrutura-se na expressão corporal dos dois atores em cena. A montagem foi realizada com recursos do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz, de 2006.- Foram três meses de intenso trabalho de corpo e um mês para a montagem - conta Nazareno Pereira, que interpreta o tutor ao lado de Leon de Paula, o pupilo.- Antes disso, na nossa primeira reunião com o Chico Medeiros, ele tentou nos convencer a desistir da idéia ou convidar outro diretor - lembra Pereira, ao salientar a dificuldade de se trabalhar sobre o texto de Handke, tarefa que exigiu consultas nas traduções francesa, italiana, espanhola e portuguesa, além do original alemão.Grupo varia linguagem das montagensO sucesso do espetáculo, no entanto, não pode ser analisado separadamente da história da companhia. A Cia. Teatro Sim... Por que não?!!! foi criada em 1984 - por ex-alunos do Curso de Teatro ministrado por Margarida Baird, no Sesi - e costuma variar as linguagens de suas montagens, com bonecos, farsas, melodramas e comédias. A equipe tem de 10 a 12 integrantes e trabalha com convidados em algumas ocasiões.Com a peça de formas animadas Livres & Iguais, que estreou em 1999, o grupo excursionou por vários estados brasileiros e ainda mantém a montagem em sua agenda de apresentações. Outros espetáculos que não saem de cena são A Farsa do Advogado Pathelin (que estreou em 1996) e Rei Frouxo, Rei Posto! (2001).- Nossa agenda está cheia até o final do ano. Isso é muito bom, pois alguns críticos já nos reconhecem como um grupo nacional - diz Pereira, o único que hoje se dedica exclusivamente ao grupo (os outros integrantes são professores, funcionários públicos, arquitetos e bancários).Nazareno Pereira formou-se em Teatro na Udesc e estreou na companhia com a peça As Aventuras de Mestre Nasrudin, dirigida por José Ronaldo Faleiro, em 1992. Para fazer O Pupilo Quer Ser Tutor, Pereira teve que ensaiar exaustivamente para alcançar a neutralidade da expressão facial numa peça que, no começo, exigia o uso de máscara. O ator não sabe se esse foi o papel mais difícil que já fez, mas de uma coisa tem certeza:- É o que mais cansa. Quando o espetáculo termina, quero apenas descansar.( marcio.alves@diario.com.br )MÁRCIO MIRANDA ALVES

Nenhum comentário: