sábado, 26 de julho de 2008

Patrimônios material e imaterial do Estado são mapeados

Cultura
Coisas e lugares que só tem aqui
Patrimônios material e imaterial do Estado são mapeados

Patrimônio histórico não é apenas uma casa em estilo enxaimel localizada em alguma estrada rural catarinense.O café com cuca, servido no interior dessa residência, também pode ser considerado uma referência cultural a ser preservada.Receitas, festas religiosas, lendas e danças típicas são exemplos de bens imateriais que integram o patrimônio histórico e cultural do Estado. Para catalogar toda essa herança, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) deu início ao projeto Identidades.Nos dias 28 e 29 de julho, em Atalanta, no Alto Vale do Itajaí, o trabalho será intensificado, com oficinas que têm como objetivo treinar os envolvidos no levantamento tanto para melhor identificar essas referências culturais, como também para organizar esses registro. Segundo a diretora de patrimônio cultural da FCC, Simone Harger, um dos objetivos do projeto é encontrar bens culturais ainda não reconhecidos.- O trabalho é feito em conjunto com agentes culturais e a Secretaria Regional de cada cidade visitada. Registramos edificações e bens imateriais que sejam uma referência para a comunidade - informa.Para um bem cultural entrar no catálogo do projeto Identidades, não é preciso atender aos padrões utilizados anteriormente para tombamentos.Simone cita como exemplo a Igreja das 10 horas, em Agrolândia. Na torre da edificação, foi desenhado um relógio, onde está marcado o horário da inauguração. Como o relógio comprado era maior que a torre, e não pôde ser instalado, a solução foi pintar os ponteiros.- A arquitetura do prédio não tem nada de extraordinário. Mas esse relógio desenhado criou um forte laço da edificação com a comunidade, então acaba se tornando um bem cultural - explica.O Alto Vale do Itajaí é a região que está mais adiantada no levantamento. A equipe da FCC se surpreendeu com a quantidade de construções históricas escondidas em caminhos rurais. Outra surpresa foi o grande número de celebrações religiosas nas comunidades germânicas, tanto católicas como protestantes.Não há uma data estipulada para o término do projeto. A intenção é visitar todas as cidades catarinenses. O catálogo dos bens materiais e imateriais será entregue à prefeitura de cada cidade.- Esses registros não ocasionarão necessariamente em novos tombamentos. A intenção é proteger, mas não da forma que era feito antes. No passado, a FCC primeiro tombava e só depois explicava para a comunidade. Agora, queremos que a própria comunidade nos informe o que deva ser preservado - coloca Simone.RODRIGO SCHWARZ Joinville

Nenhum comentário: