quinta-feira, 24 de julho de 2008

exposição "Utensílios Filosofais"

Aos 21 dias depois da abertura da exposição "Utensílios Filosofais", de Rodrigo de Haro, o público terá a oportunidade de ouvir o poeta e artista plástico recitando seus poemas acompanhados pelo piano de Diogo de Haro na Sala de Música do Centro Cultural Arquipélago. Os ingressos para esse recital podem ser adquiridos no Arquipélago ou reservados pelo telefone 30245066. Na compra de cada ingresso, assiste-se ao recital e ganha-se um exemplar do Tratado do Céu Terrestre, texto alquímico de Wenceslao Lavinius de Moravia datado de 1672. A tradução do texto realizada por Rodrigo de Haro dialoga com a sua exposição de desenhos onde ilustrações de fornos alquímicos relembram nomes de alquimistas históricos. A exposição "Utensílios Filosofais" ficará em cartaz na galeria do Centro Cultural Arquipélago até o dia 09 de agosto.

O quê: Recital de Poesia de Rodrigo de Haro acompanhado por Diogo de Haro no Piano.
Onde: Centro Cultural Arquipélago.Rua Idalina Pereira dos Santos, 81. Agronômica.
Telefone: 3024-5066
www.arquipleagoart.com.br
Quando: 25 de julho de 2008 ás 19h30min
Quanto: 20 reais

Após o recital será inaugurada, no Piso Superior do Centro Cultural Arquipélago, a exposição individual de Tiago Romagnani. Esta sala de exposições será destinada a receber obras de cunho experimental, intervenções e instalações que muitas vezes não podem ser adaptadas para serem apresentadas em instituições. São "projetos de risco" que o Arquipélago quer mostrar ao público o caráter processual da arte produzida hoje vinculada a pesquisa do artista contemporâneo.

O artista faz parte da nova geração da arte catarinense e apresenta uma obra inédita. A Saudade é o primeiro trabalho de uma série, composta também por a Paciência e a Perseverança. Para o artista "Durante a materialização de idéias o trabalho se transforma e se revela, alimentando reflexões e me transformando". O trabalho constitui-se de uma estrutura de madeira por onde escorre um fio de água que, ao ser puxado por linhas, se transforma em um filme. Este, sustentado pela tensão superficial da água, é aberto até o seu limite e se rompe. O espectador assiste o ciclo de distanciamento dos fios e a formação da película. O sistema idealizado pelo artista é composto também por motores e circuitos eletrônicos que restauram a película sempre que esta se rompe.

Oquê: Exposição A Saudade, de Tiago Romagnani
Onde: Centro Cultural Arquipélago. Rua Idalina Pereira dos Santos, 81. Agronômica.
Telefone: 3024-5066
www.arquipleagoart.com.br
Quando: 25 de julho de 2008 ás 20h30minQuanto: gratuito

Nenhum comentário: