terça-feira, 15 de julho de 2008

Criações inéditas de Eli Heil podem ser vistas por espectadores de Joinville

Arte
As cores das sensações
Criações inéditas de Eli Heil podem ser vistas por espectadores de Joinville

Aos 79 anos, a artista plástica Eli Heil continua com a mesma vitalidade e produtividade de 40 anos atrás, quando iniciou a carreira. Uma pequena parcela de sua obra estará em exposição em Joinville a partir de hoje, no Museu de Arte de Joinville (MAJ). É a oportunidade para os mais novos apreciarem o trabalho de um dos maiores e mais versáteis nomes da arte catarinense, com vasta produção artística nas áreas de desenhos, pinturas, esculturas e trabalhos em cerâmica. Trinta e nove obras em pintura acrílica integram a mostra.Parte do acervo de Eli Heil está em espaços públicos, desde o Musée de la Création Franche, na França, até na sede do Banco do Estado de Santa Catarina em Florianópolis. Mas o grande apanhado de suas criações está no Museu O Mundo Ovo de Eli Heil, realização de um sonho da artista inaugurado em 1987, na região de Santo Antônio de Lisboa, em Florianópolis. Lá, em três espaços, está indissolúvel toda a variedade da artista catarinense em quase dois mil trabalhos. Como material, nas peças ela utiliza objetos incomuns como saltos de sapato, canos de PVC e até os tradicionais tubos de tinta.As telas trazidas a Joinville são inéditas, criadas a partir de 1992. As obras passam por diversas fases e técnicas inventadas pela própria Eli, com texturas diferentes. "Ela possui mais de 194 técnicas, faz uma mistura de cores e tintas que não revela a ninguém", explica seu filho, também presidente da Fundação Eli Heil, o artista plástico José Pedro Heil. Durante o período da exposição, aberta para visitação até 31 de Agosto, será exibido o documentário "Uma Visita ao Mundo Ovo de Eli Heil", um passeio televisionado pelo local.Aclamada por crítica e público, as criaturas de Eli Heil são consideradas de difícil definição. Ela argumenta que seu trabalho é para ser sentido e não definido. Esse sentimento está representado por formas humanas, quase criaturas, que brotam na mistura de cores e imagens surreais. Em cada espaço, é possível observar a formação de rostos e corpos que saem dos limites da materialidade para gesticularem ou virem até nós. "A arte, para mim, é a expulsão dos seres contidos, doloridos, em grandes quantidades, num parto colorido", tenta explicar Eli.Justamente pelo teor abstrato das telas, a presença da artista na abertura da exposição seria quase obrigatória. Mas problemas de saúde impediram a vinda de Eli a Joinville, que será representada pelo filho. "Esse é um evento muito importante para ela. Será sua primeira exposição individual após uma longa negociação", salienta José Pedro.( edson.burg@an.com.br )EDSON BURG

Saiba +
VISITA VIRTUAL
Uma amostra da carreira e das obras da artista e detalhes sobre o museu O Mundo Ovo de Eli Heil, em Santo Antônio de Lisboa, estão no site da artista (www.eliheil.org.br). Pelo site, também é possível entrar em contato com Eli Heil.
+
O QUÊ: abertura da exposição da artista plástica Eli Heil.
QUANDO: hoje, às 20 horas. Visitação até 31 de agosto, de terça a sexta-feira, das 9 às 17 horas, e nos fins de semana, das 11 às 17 horas.
ONDE: Museu de Arte de Joinville (MAJ), rua 15 de Novembro, 1.400, América.
QUANTO: gratuito.

Nenhum comentário: