quinta-feira, 15 de maio de 2008

Jaraguá do Sul integra convênio SESC e MINC - Programadora Brasil


Jaraguá do Sul integra convênio SESC e MINC - Programadora Brasil

O Ministério da Cultura e o Serviço Social do Comércio (SESC) firmaram no dia 4 de outubro de 2007, uma parceria para associar 165 unidades da rede ao projeto Programadora Brasil – iniciativa da Secretaria do Audiovisual de disponibilização em DVD de filmes e vídeos brasileiros, organizados por programas, para pontos de exibição de circuitos não-comerciais.Em Jaraguá do Sul, o SESC está programando 350 sessões até dezembro, com os filmes da Programadora Brasil. As sessões acontecerão no SESC. O principal objetivo é ter, na cidade, um espaço de acesso ao cinema brasileiro, com diversidade de temas, linguagens e classificação indicativa. Cinema nacional para todos os gostos e todos os públicos. O programa de ações entre SESC, MINC e PROGRAMADORA BRASIL será para quatro anos, podendo o convênio ser renovado.Um amplo conjunto de obras cinematográficas que amplia a vitrine do cinema brasileiro e contribui para que mesmo espectadores de primeiro contato tenham acesso a um painel da trajetória do nosso cinema. Todas as sessões são gratuitas e o SESC firma-se como o único ponto de exibição de filmes nacionais, de forma semanal e regular ao longo do ano. Mais que uma oportunidade ímpar de ser um ponto de exibição para o público assistir o melhor do cinema nacional, o SESC concretizará o objetivo de ser um ponto de encontro entre todos que buscam uma programação acessível, gratuita e de qualidade que tenha como meta, desenvolver platéia para o cinema feito no Brasil. CONFIRA A PROGRAMAÇÃO NO SESC JARAGUÁ DO SUL PARA OS PRÓXIMOS DIAS: BASTIDORES DE TEATRO (68’)15 e 16 de maio, às 15h30, 17h30 e 20 horas, no SESC Jaraguá do Sul. Entrada Franca. Idade Recomendada: LivreUm importante percurso didático pelas diversas faces da arte teatral. Das primeiras etapas de preparação de uma montagem (escolha do texto, leitura e ensaio) à estréia de um espetáculo, passando pelas peculiaridades arquitetônicas do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e pelos fundamentos do gênero. O programa trata ainda de aspectos históricos como a fundação de companhias como o Teatro Brasileiro de Comédia e o Teatro de Arena, além de assinalar a dramaturgia e os novos métodos de produção do teatro brasileiro moderno.
A Face e a Máscara
Vicente Marques, RJ, 1974, 10 min.
A Linguagem do Teatro
João Betencourt, RJ, 1966, 18 min.
Teatro Brasileiro: Novas Tendências
Olney São Paulo, RJ, 1975, 11min
Teatro Brasileiro: Origem e Mudança
Olney São Paulo, RJ, 1964,12 min
Teatro Municipal
Ruy Santos, RJ, 1974,12 minANIMAÇÕES PARA ADULTOS (54’)20 e 21 de maio, às 15h30, 17h30 e 20 horas, no SESC Jaraguá do Sul. Entrada Franca. Idade Recomendada: 16 anos. Este programa é fruto do desenvolvimento do mercado de animação no país na última década, que supriu algumas demandas temáticas e diversificou a produção profissional. O interesse do público adulto pelo gênero, suscitado inicialmente por trabalhos estrangeiros exibidos nas salas de cinema e televisão, chega agora também à produção nacional. A seleção é composta por títulos premiados no circuito de festivais e com expressiva exibição pela internet.
Desirella
Carlos Eduardo Nogueira, SP, 2004, 11min
Deu no Jornal
Yanko del Pino, DF, 2005, 3 min
Engolervilha
Marão, RJ, 2003, 8 min
O2 Conjunto Residencial
Adams Carvalho e Olívia Brenga, SP, 2005, 5 min
Onde Andará Petrúcio Felker
Allan Sieber, PR, 2001,13 min
Pax
Paulo Munhoz, PR, 2005,14 minCURTAS UNIVERSITÁRIOS (71’) 27 e 29 de maio, às 15h30, 17h30 e 20 horas, no SESC Jaraguá do Sul. Entrada Franca. Idade Recomendada: 16 anos.A produção audiovisual dos cursos universitários de cinema tem peso significativo no cenário do curta-metragem nacional, e reconhecimento internacional por sua excelência - vide as participações de O lençol branco e Um sol alaranjado no Cinéfondation, a competição de filmes de escola do Festival de Cannes, sendo o último vencedor do 1o prêmio em 2002. Essa produção não se empenha meramente na formação de novos profissionais para o mercado de trabalho, estando mais fundamentada no chamado cinema de autor, muito devido à liberdade temática e ao incentivo à criatividade, encontrados nas escolas de cinema brasileiras. Nesta seleção encontramos trabalhos dos cursos de maior produção e tradição.
O Lençol Branco
Juliana Rojas e Marco Dutra, SP, 2003, 15 min
Produto Descartável
Rafael Primo e Flavia Rea, SP, 2003, 15 min
Um Sol Alaranjado
Eduardo Valente, RJ, 2001, 17min
Velha História
Claudia Jouvin, RJ, 2004, 6 min
Veludo & Cacos-de-vidro
Marco Martins, SC, 2004, 17 min

Nenhum comentário: