quinta-feira, 29 de maio de 2008

Documentário sobre o nazismo é tema do Cinema Falado

Cultura
O arquiteto da destruição
Documentário sobre o nazismo é tema do Cinema Falado

Arquitetura da Destruição é o filme de hoje dentro do projeto Cinema Falado do Museu Victor Meirelles. Produzido em 1989 e dirigido por Peter Cohen, este documentário talvez seja um dos melhores já realizados, tendo o nazismo como tema central. Quem faz a mediação dos debates da noite é o professor do Curso de Cinema da UFSC, Luiz Felipe Soares.Arquitetura da Destruição é considerado como um dos melhores estudos já feitos sobre o nazismo no cinema. O filme de Peter Cohen lembra que chamar a Hitler de artista medíocre não elimina os estragos provocados pela sua estratégia de conquista universal. O veio artístico do arquiteto da destruição tinha grandes pretensões e queria dar uma dimensão absoluta a sua megalomania. Hitler queria ser o senhor do universo sem descuidar de nenhum detalhe da coreografia que levava as massas à histeria coletiva, a cada demonstração.Sobre o filme, o crítico Ivan Martins afirma que Adolf Hitler era um esteta. Pintava aquarelas, comovia-se com a música clássica, esboçava edifícios que seus arquitetos, depois, aperfeiçoavam.Mas Adolf Hitler era também um verdugo sinistro que mandou executar doentes e socialistas, que ordenou a morte de ciganos e judeus, mulheres e crianças, aos milhões.Concepção de beleza totalmente deformadaArquitetura da Destruição tenta traçar uma ponte entre essas duas criaturas, o artista e o monstro. Dirigido pelo sueco Peter Cohen, o filme defende a tese de que a estética nazista caminhava ombro a ombro com a ética nazista.Sustenta que as tropas que marchavam sob a suástica queriam embelezar o mundo - ainda que sua concepção de beleza fosse tão restrita, tão deformada pelo racismo, que a única maneira de impô-la era através da morte e da destruição. Não por acaso, Hitler foi o pivô da Segunda Guerra, a mesma que devastou a Europa e ceifou a vida de 50 milhões de pessoas.O mediador convidado desta sessão é Luiz Felipe Soares, doutor em Letras pela UFSC, com tese sobre construção de imagens de identidade nacional (brasileira e americana) durante a Segunda Guerra, a partir do discurso em torno de Carmen Miranda. Possui mestrado em Literatura, também pela UFSC, e graduação em Comunicação Social/Jornalismo, pela Universidade Federal de Juiz de Fora.Atualmente é professor do Curso de Cinema da UFSC e, de 2001 a 2007, foi professor do curso de Graduação em Cinema e do Programa de Mestrado em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).Tem experiência nas áreas de Letras e Artes, com ênfase em Estudos de Cinema, Teoria Literária e Crítica Cultural.
Serviço
Quando: hoje
Horário: às 18h30min
Onde: Sala Multiuso do Museu Victor Meirelles, na Rua Victor Meirelles, 59, Centro, Florianópolis
Mediador: Luiz Felipe Soares
Ingresso: entrada franca
Informações: (48) 3222-0692

Nenhum comentário: