quinta-feira, 24 de abril de 2008

Sons da diversidade de SC

Festival
Sons da diversidade de SC
Palco do Teatro Ademir Rosa, do CIC, recebe os músicos classificados para a finalíssima do Femic

Caminhando e cantando. Assim como nos versos de Geraldo Vandré, o Festival da Música e da Integração Catarinense (Femic) seguiu a canção feita nos recantos de Santa Catarina. A busca resultou na variedade e qualidade musical, que poderão ser conferidas pelo público nas etapas finais do festival, hoje e amanhã, na Capital.Estarão no palco desde a moda de viola, até o sertanejo, passando pelo pop, rock, funk, guarânia, samba, MPB e música nativista. É possível avaliar gêneros musicais tão diversos?- Por princípio, o festival não limita estilos. Não queremos colocar cada segmento cultural num gueto. O principal foco foi ver o que está acontecendo no Estado, principalmente no interior, que tem tão pouco acesso à mídia - justifica o diretor artístico do Femic, Luiz Meira, lembrando de artistas tão diversos como Kleiton & Kledir, Elis Regina e Caetano Veloso, revelados nos grandes festivais dos anos 1970 e 1980.As 24 bandas que chegaram à etapa final do festival se apresentarão hoje no Teatro Ademir Rosa (CIC). Destas, serão selecionadas 12 para compor o CD desta segunda edição do Femic. O show com as finalistas será gravado ao vivo, amanhã, quando serão conhecidos os vencedores.Os prêmios vão para o primeiro (R$ 15 mil), segundo (R$ 7 mil) e terceiro (R$ 3 mil) lugares, além de melhor intérprete (R$ 1,25 mil), instrumentista (R$ 1,25 mil), arranjo (R$ 1,25 mil) e aclamação popular (R$ 1,25 mil).- O Femic está resgatando a música popular feita no Estado. É o principal investimento do Funcultural nesse segmento - declarou o diretor do Sistema Estadual de Incentivo ao Turismo, Esporte e Cultura (Seitec), Gerson Hulbert.Total de 2,7 mil inscritos nas 36 etapas seletivasForam 2,7 mil inscrições em todo o Estado e 36 etapas seletivas se realizaram na abrangência de todas as Secretarias de Desenvolvimento Regional. A semifinal foi disputada por 130 composições inéditas, selecionadas pelo critério da qualidade, e não da regional onde foi inscrita, de acordo com o diretor artístico.Luiz Meira constatou que a maioria das canções que competiram no festival são no estilo pop/rock. No entanto, Gerson Hulbert destacou que os músicos do Planalto Serrano apresentaram mais canções nativistas., já que na região há uma preocupação maior em manter as tradições locais.- O festival foi uma grande oficina, que envolve tudo, desde a performance no palco, à equipe técnica e os equipamentos de primeiro mundo disponíveis aos músicos. Muitos gravarão um CD pela primeira vez - admira-se Gerson, que garante já haver recursos assegurados para a realização do festival no ano que vem.O vocalista Nego, da banda Nego Joe, vencedora do festival no ano passado, acredita na profissionalização da música popular catarinense incentivada pelo festival.- O Femic ajudou na integração dos músicos. Sou de Itajaí e fiz contatos com pessoal de Tubarão, Criciúma e da Grande Florianópolis. Antes essa galera era separada - reconhece o vocalista.Para o show de amanhã, a grande final do festival, foram convidadas atrações especiais. Além dos músicos catarinenses, subirão ao palco os artistas nacionais Jorge Aragão e Sandra de Sá. Os dois são convidados de Luiz Meira e os três se revezarão, apresentando releituras da MPB e sucessos de suas carreiras. A entrada para os shows é gratuita, mas é preciso trocar antecipadamente um agasalho pelo ingresso, na bilheteria do teatro.( alicia.alao@diario.com.br )ALÍCIA ALAO
Os 24 finalistas do Femic
Ituporanga
- Tudo Passa, Ricardo Hessa
- Quero te Encontrar, Giana Dinara
Blumenau
- Nada em Troca, Deco Dalponte
- Calada, Sérgio Espezim
- Nossa História, Banda Infravermelho
Grande Florianópolis
- Não, Marco Antônio Oliveira
- Anjo Gabriel, Jeisson Dias Schmidt
- Jardim das Delícias, Gustavo Barreto
- Travesseiro de Estrelas, Ryana Gabech
- Fuck Fuck, Vitor Zimmerman
Joaçaba
- Moleque, Vilton Z. de Souza
- De Tropas Serranas, Arthur e Raul Boscatto
Palmitos
- Nas Manhãs da América do Sul, Grupo Águas Nativas
- Que Sempre Volta ao Galpão - Cassiano Rambo
Chapecó
- Relento, Eduardo Stormowski
- Por Mais Que eu Esqueça, Paulo André Bortoluzzi
Joinville
- Velho Peão Boiadeiro, Ademar Michels
- Sem Você, Eder Carvalho
- Não Quero Ser John Malkovitch, Mari Rebelo Costa
Lages
- Raça Humana, Vilmair Delfes e Fernando Spessato
- No Florir das Açucenas, Ramiro Amorim e Emerson Goulart
Criciúma
- Tributo a Tião Carreiro, José Martins e Lino da Silva
- Um Sonho Para Toda Vida, Candemil e Quilha
- Catando Estrelas, Jorge Fernando Gonçalves
Serviço
Quando: hoje e amanhã
Horário: 21h
Onde: Teatro Ademir Rosa, Centro Integrado de Cultura, Av. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis
Ingressos: entrada franca. Os convites devem ser trocados antecipadamente por um agasalho na bilheteria do teatro
Informações: (48) 3953-2301

Nenhum comentário: