terça-feira, 22 de abril de 2008

Água dentro do Masc atrasa abertura de mostra nacional


Exposição
Chuva no molhado
Água dentro do Masc atrasa abertura de mostra nacional

Em vez das paredes, as caixas. As obras milionárias de Tarsila do Amaral, Cândido Portinari e Di Cavalcanti, entre outros renomados artistas brasileiros, permanecerão guardadas nas dependências do Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), na Capital, devido ao mau tempo.A exposição Um Século de Arte Brasileira - Coleção Gilberto Chateaubriand, que seria aberta hoje, foi adiada para 6 de maio.A presidente da Fundação Catarinense de Cultura, Anita Pires, diz que os 23 dias previstos para a exposição serão mantidos, ou seja, a mostra que encerraria em 15 de maio, será prolongada até o dia 28 do mesmo mês.As chuvas dos últimos dias atrasaram a finalização das obras emergenciais de recuperação da cobertura do museu. O problema foi identificado na quarta passada, quando goteiras formaram poças no piso do Masc. As 170 obras da coleção já estavam no museu.- Foi um momento chato presenciado pela seguradora e os responsáveis pelas obras. É um problema pontual, mas as ações estão acontecendo - afirmou o secretário de Estado do Turismo, Esporte e Cultura, Gilmar Knaesel.A reforma completa do CIC, onde está localizado o Masc, é uma das ações citadas pelo secretário. Knaesel prevê para o final deste mês a entrega do projeto final para então lançar o edital de licitação e, finalmente, o início das obras, que deve ocorrer no segundo semestre.- É lamentável que o museu, que é maravilhoso, um espaço nobre, esteja passando por essas dificuldades - reconhece Anita.Anita afirma que as obras da coleção estão sob a supervisão da PM, de uma equipe de segurança privada contratada pela fundação e pelos responsáveis pelas obras. O vice-presidente do MAM/RJ, instituição que abriga a coleção, Carlos Alberto Govêa Chateaubriand, declarou em nota que está totalmente seguro com a agilidade com que as providências estão sendo tomadas.

Nenhum comentário: